FioSaúde decide por reajuste na tabela dos agregados do plano

Objetivo é o equilíbrio entre receitas e despesas neste grupo
 
Em abril de 2010, o Conselho Deliberativo e a Diretoria Executiva da FioSaúde aprovaram o reajuste na tabela de agregados do plano para 2010, congelada desde o ano de 2009.
 
Confira abaixo o comparativo entre a tabela antiga e a nova:

 

Antiga tabela de preços de agregados

 

Tabela de preços de agregados com reajuste - 2010

 

Básico

Superior

Executivo

 

 

Básico

Superior

Executivo

0 a 17 anos

R$ 108,00

R$ 145,00

R$ 166,00

 

0 a 17 anos

R$ 140,00

R$ 189,00

R$ 216,00

18 a 29 anos

R$ 126,00

R$ 179,00

R$ 222,00

 

18 a 29 anos

R$ 164,00

R$ 233,00

R$ 289,00

30 a 39 anos

R$ 143,00

R$ 197,00

R$ 263,00

 

30 a 39 anos

R$ 186,00

R$ 256,00

R$ 342,00

40 a 49 anos

R$ 175,00

R$ 234,00

R$ 312,00

 

40 a 49 anos

R$ 228,00

R$ 304,00

R$ 406,00

50 a 59 anos

R$ 293,00

R$ 409,00

R$ 506,00

 

50 a 59 anos

R$ 381,00

R$ 532,00

R$ 658,00

60 a 69 anos

R$ 360,00

R$ 527,00

R$ 684,00

 

60 a 69 anos

R$ 468,00

R$ 685,00

R$ 889,00

Acima de 70

R$ 430,00

R$ 594,00

R$ 811,00

 

Acima de 70

R$ 559,00

R$ 772,00

R$ 1.054,00

 

A decisão tinha por base a necessidade de equilibrar as receitas e despesas deste grupo de usuários do plano. Este era um projeto iniciado em 2007, que tinha por objetivo trazer equilíbrio no custeio dos agregados até o ano de 2011, tendo como referência normas da Agência Nacional de Saúde (ANS), que efetua supervisão constante.
 

Lembramos que os agregados não contam com o subsídio da Fiocruz calculado para servidores que em 2010 já possuíam FioSaúde e permaneceram nos planos básico, superior ou executivo - pois a Fundação é impedida de aportar recursos para auxiliar a contribuição para esses beneficiários da FioSaúde. Isso faz com que os agregados tenham que arcar com o seu custeio integral.
 
Mesmo com o reajuste nas contribuições dos agregados, a FioSaúde ressaltava - na ocasião dessa implantação - que os valores dessa tabela ainda estavam abaixo dos preços atualmente praticados pelos planos de saúde comerciais, num comparativo com valores relacionados a determinadas faixas etárias, especialmente no caso de pessoas idosas.